sábado, 16 de novembro de 2013

39ª meia maratona da Nazaré , parte II .A verdadeira razão porque afinal corremos..

Não...não é nos anos 70 ..é este domingo 10.11.2013..
porque sabe bem fazer uma viagem no tempo...
Como vos prometi no texto anterior hoje vou-me "dedicar "a narrar a segunda parte da nossa presença na Mítica meia maratona internacional da Nazaré.
Neste grupo existe um pouco de tudo , quem corra muito ..quem faz que corre ...não existe competição entre nós mas numa coisa eu não deixo que ninguém me ganhe é no repasto. 
Terminada a prova e depois do merecido banho no porto de abrigo era tempo de repor as energias despendidas durante a corrida , o dia estava lindo , muito sol e aos poucos a avenida começou a ficar vazia , uns regressavam a casa ,  outros permaneciam na Nazaré em "romaria"até á praia do norte para a zona das tão famosas ondas , talvez inspirados pela presença do recordista mundial o havaiano Mc Namara .
Resolvemos almoçar na zona do parque de campismo , bem longe do mar e o local ideal para o nosso convívio e almoço á moda antiga , o chamado merendeiro .
Depois de um pequeno susto provocado pela "areia "no  local que nos levou a ter que puxar pelo físico para repor a legalidade e colocar a viatura fora de perigo , toca a assentar e pôr ao ar livre o que cada um levava e partilhar entre todos .

O momento alto foi quando o Paulo pegou no "menino"(nome pelo qual era conhecido antigamente aqui no norte o garrafão de vinho)e o apresentou ás "tropas".

Facilmente me apercebi que a comida dava para um "regimento"até porque no fim das corridas o apetite não é muito...mas conversa puxa conversa e o apetite foi aparecendo.Aqui não aconteceu o mesmo que na prova pois os que mais correram foram os que menos comeram ...e beberam, como disse atrás não permito que me ganhem nesta competição.

São estes momentos que fazem destes convívios algo inesquecível , que reforça os laços de amizade entre todos , que permitem que nos conheçamos melhor  , porque no fundo a corrida é apenas uma forma de estar de sentir e que nos proporciona momentos inesquecíveis que sem ela seriam impensáveis.

Todos estavam felizes , apesar do cansaço natural , mas quem corre por
gosto não cansa , a corrida é uma fonte de inspiração que nos permite momentos únicos de liberdade como este de estarmos em contacto com a natureza e a partilhar entre amigos  

Quando se faz o que se quer e gosta o tempo passa a correr , e sem dar por isso a noite começa a cair...é tempo de arrumar as" trouxas "até porque o vento forte começou a sentir-se .

Regressados á estrada esperava-mos mais uma longa viagem durante a qual a conversa e a"risada"sempre presentes para reforçar estes momentos que de raros até já tenho saudades..
Foi estou em querer uma experiencia interessante , a repetir estou certo .Quero agradecer publicamente ao nosso amigo Paulo Abreu pelo sacrifício de conduzir durante quase 600km aquela "relíquia"mas estou certo que o fez com muito gosto.Estamos cá para retribuir.Até á próxima corrida , sim porque como diz alguém"CORRER É MAGICO,E APAIXONA A VIDA".A todos boas corridas.

1 comentário:

  1. Muitas das vezes quem não corre não consegue perceber o que isto significa: ele é "o correr atrás de nada", o ser "doido por correr de madrugada, ao frio e à chuva", o achar mais importante ficar de manhã na cama, ou passar a tarde no sofá.

    A maioria das pessoas não compreende o que é definir um objectivo e conseguir alcançá-lo, o ultrapassar daquilo que até à pouco tempo eram os nossos limites, o companheirismo que se encontra nas provas, o apoio que nos dão quando precisamos, o apoio que podemos dar aqueles que precisam mais do que nós, a alegria de passar por baixo daquele pórtico, e todo o convívio que temos, antes e depois das provas.

    Correr é simplesmente uma forma de vida.

    Abraço e bons treinos e boas provas.

    Fernando Varela

    ResponderEliminar