terça-feira, 25 de agosto de 2015

A VIDA É A MINHA ZONA DE CONFORTO (JOÃO MARINHO)

Quanto mais leio a passagem por esta vida do grande atleta e ser humano que foi  João Marinho , mais o admiro e me identifico com este atleta que apesar de bem mais jovem que eu muito progrediu na ciência da vida  , ás vezes dou comigo a pensar como gostava de ter coragem para livremente ir atrás dos meus sonhos como ele foi....
Partilho aqui um dos textos  que se referem á sua  Zona de conforto que ele escreveu em 05 de Janeiro de 2014 e onde mais uma vez mostra a sua grandeza de alma , a sua liberdade de pensamento e acima de tudo uma autenticidade de quem acreditava convictamente nas suas convicções. 

"   

Zona de Conforto

Na noite da passagem de ano entre muitas outras ''actividades'' discutiu-se a zona de conforto. Este tema veio à baila porque nesse mesmo dia passamos momentos complicados na Serra do Gerês devido à chuva, frio, vento e nevoeiro que tornou o nosso ultimo treino de 2013 bastante desafiante digamos assim.

Vamos à definição cientifica: 

Na psicologia, a zona de conforto é uma série de ações, pensamentos e/ou comportamentos que uma pessoa está acostumada a ter e que não causam nenhum tipo de medo, ansiedade ou risco. Nessa condição a pessoa realiza um determinado número de comportamentos que lhe dá um desempenho constante, porém limitado e com uma sensação de segurança. Segundo essa teoria, porém, um indivíduo necessita saber operar fora de sua zona de conforto para realizar avanços em seu desempenho - por exemplo no trabalho - eventualmente chegando a uma segunda zona de conforto.

Apesar de todos os que discutiram o tema serem desportistas, de terem feito diversas modalidades exigentes como ironman's e ultramaratonas, a sua zona de conforto varia bastante. 

Se para uns sair da zona de conforto é desafiar as condições atmosféricas, por exemplo treinar com temperaturas negativas, ou com chuva. Para outros sair da zona de conforto é subir o batimento cardíaco de tal forma que se torna doloroso mantém o ritmo\velocidade. Sair de casa dos pais na adolescência para ir trabalhar para ganhar para sustentar a família também foi considerado sair da zona de conforto. Apontaram o meu exemplo de atravessar o Deserto do Gobi em autonomia e isolamento em algumas vezes quase total como saindo da minha zona de conforto. 

Bom, a discussão foi deveras interessante, abrangente e que me fez pensar qual seria de facto a minha zona de conforto. Cheguei à conclusão que a minha zona de conforto é a vida, são as experiências que nos proporciona, sejam elas ''confortáveis'' ou não. 

Para mim passar muito frio porque decido subir uma montanha pode-se tornar desconfortável de facto, chegar ao objectivo previamente definido pode ser doloroso. Para ''suportar'' isso penso que essa situação é temporária por isso irei voltar ao conforto dentro de ''algum'' tempo. Mesmo não sendo momentos de prazer, é uma experiência que depois se torna prazerosa. Num treino\competição se elevo a pulsação e sinto as penas a doer e a pedir para abrandar também é desconfortável, mas não também não sinto que esteja fora da minha zona de conforto. Pode estar a doer, pode até ser desconfortável, que o é, mas é também temporário e uma opção minha de continuar a forçar e a suportar a dor até onde consiga. 

Disseram que coloquei a vida em risco com a travessia do deserto, que estava num lugar onde mais ninguém sabia que estava e que se acontecesse alguma coisa dificilmente seria resgatado. Apesar de ser verdade, mas nunca considerei que estava a sair da minha zona de conforto, mesmo passando sede e fome. Estava a gostar da sensação de estar ali no meio do nada, lidando com uma situação potencialmente perigosa, mas exponencialmente divertida...para mim!

Quando um dia sair da minha zona de conforto é porque morri e isso não significa que seja ''apenas'' morte clinicamente falando, mas porque deixei de lutar pelos meus sonhos, porque deixei de ouvir as minhas paixões, porque deixei de ir atrás daquilo que me faz feliz e do que gosto. 

A VIDA é a minha zona de conforto, seja a sofrer numa competição, seja a entrar em hipotermia numa montanha ou mesmo perdido num deserto. Conforto para mim é sentir-me livre, liberdade essa que me permite partilhar com vocês as intensas vivências nesta apaixonante viagem da VIDA.

A mente controla a zona de conforto e quem tem o poder da mente és tu! Abre a tua zona de conforto à vida, aos teus sonhos, às tuas paixões e nunca entrarás numa zona de desconforto.

Bom ano! 
João MARINHO  , 05 DE JANEIRO DE 2014.

3 comentários:

  1. Respostas
    1. Excelente foi sem duvida a sua vida , estou certo que a IVIANA gostaria de ter conhecido.BJ

      Eliminar
  2. Desconhecia este excelente texto que me emocionou.
    Obrigado por o divulgar aqui.
    Um abraço.

    ResponderEliminar

Um "Mar de atletas" Invadiu o Porto de Leixões

...quase a terminar um Verdadeiro Mar de atletas invadiu ontem  o Porto de Leixões na 4ª  CORRIDA PORTO DE LEIXÕES   prova organizada...