segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Na Mais Dura Maratona do Mundo uma recordação para a vida!

"O querer ultrapassa montanhas"~




Um dia depois da minha participação na Geres Marathon é tempo de reflectir e partilhar o "turbilhão" de emoções que antes durante e depois da prova me envolveram com sensações que tinham tanto de raras como de divinas!
Como escrevi no post anterior a incerteza que pairou sobre a minha cabeça desde que me apercebi da verdadeira dureza da prova desde logo começou a "ferver"dentro de mim , como resultado tive uma noite de alerta total não conseguindo pregar olho , parti assim para o Geres sem dormir!!!
Cheguei ao Geres ao amanhecer  muita gente da organização empenhada para que tudo estivesse pronto a tempo e horas entre eles Carlos Sá um dos mentores deste grande projecto.
Despachadas as formalidades foi tempo do pequeno almoço na companhia do Simão e da Natercia que fizeram questão de me acompanhar na viagem para esta "aventura", logo ali vi muitos atletas que por norma não vejo , o meu habitat não era aquele ...muita gente ligada ao trail que como sabem é coisa que não me cativa muito.
Depois de "vistoriar"a zona envolvente eis que encontro o Jorge Augusto amigo de muitas corridas e de muita fibra alguém que motiva muito um autentico guerreiro que nas ultimas semanas correu o  Reccua Douro ultra trail na distancia de 80 km !!! ..a 8 de Novembro a Maratona do Porto ..e estava ali tal como eu para correr a mais dura maratona do mundo !!!
Estava muito calmo mas ao mesmo tempo "desconfiado"comigo mesmo pois olhava em minha volta e via a altitude das montanhas sabendo que tinha que ir para lá..
A prova inicia-se ás nove em ponto ...a adrenalina entra em acção 7 km sempre a subir vertiginosamente ...o primeiro controle e abastecimento ...ufa"..foi tempo de inverter a marcha e 4 km a descer nesta fase o Jorge á muito que me tinha fugido..decidi continuar com alguma prudência pois ainda faltava muito ...
Aos 14 nova paragem no abastecimento , depois de ingerir alguns líquidos continuei agora mais aliviado pois um terço já estava feito.Nesta fase já eram muitos os grupos o pelotão estava partido e cada um travava uma luta individual ..é nesta fase que encontro um atleta que correu a primeira edição e me diz que o pior estava feito...desconfiei e vi que era para me animar...de seguida mais 5 km sempre a subir !!!
Aos 20 km nova paragem , aqui estive 5 minutos a beber mas também a comer alguns alimentos como chocolate e mel que muito jeito me deram para a segunda parte.De seguida cerca de 8 km ao longo da lagoa  em percurso de terra até nova e longa subida..por volta dos 30km encontro o Jorge Augusto ...a passo e algo cansado com ele percorri cerca de 5 km mas ele insistiu para eu continuar pois não estava com força para me acompanhar ..respeitei a sua opinião e fui andando com a  certeza que o objecto final iria ser alcançado.Os últimos 5 km são a descer mas numa fase em que as pernas parecem "chumbo"..e mesmo a descer fiz algumas paragens .
Aproveitei as muitas fontes da descida para me refrescar pois a temperatura aquela altitude já era alta ...a parte final foi algo sofrida mas com uma emoção dentro de mim de estar perto de terminar este grande desafio ..quando chego á rua principal do Geres local da meta ,  encontrão-se largas centenas de pessoas ...olho para o céu ,  e um suor frio escorre no meu corpo .".é para ti . João Marinho" disse emocionado em direcção ao céu !!!..depois avistei a Natércia e o Simão que abracei e agradeci por me aturarem nesta minha loucura ...de seguida retomo a passadeira vermelha para terminar a minha maior loucura da vida das corridas e não só!!
Resta dizer que o tempo era o que menos importava , no entanto sempre vos digo que terminei os 42 km com 4 h21:53 na 150º posição da geral e 22º do meu escalão M 45 numa prova que á partida tinha 385 inscritos de várias nacionalidades e foi ganha pelo atleta Búlgaro  Milhal Lalev um jovem radicado a alguns anos na região de Braga.

"NADA É IMPOSSÍVEL , BASTA ACREDITAR"





sábado, 28 de novembro de 2015

Pronto para a mais dura maratona do mundo...? não , apenas coragem, muita coragem!

"Bom mesmo é ir à luta com determinação,
abraçar a vida com paixão,perder com classe
e vencer com ousadia, 
porque o mundo pertence a quem se atreve
e a vida é muito para ser insignificante."
( Augusto Branco)

Meus caros a poucas horas de partir para o Geres para a Gerês Marathon digo que não estou nem de perto nem de longe preparado fisicamente para "tamanha" aventura no entanto decidi ir , não me perguntem porquê não encontro razão a não ser uma vontade forte em participar.
O "manto"está pronto levo comigo muita coragem e determinação e cá estarei para contar o que aconteceu , espero que com boas noticias .Como sempre acredito que

"Nada é impossível , basta acreditar!
o" manto" está pronto






até já.

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

A PRÓXIMA LOUCURA ESTÁ A CHEGAR

Muito mais que uma maratona

"A Gerês Marathon não pretende ser uma maratona igual a outras, será única no Mundo!O que a diferenciará são os vários aspetos associados ao local onde a mesma se desenrola - as estradas do único Parque Nacional de Portugal, em pleno coração do Gerês. Aliar à velocidade o desnível, cria nesta maratona um grau de dificuldade substancialmente diferente e, mais elevado, que as maratonas onde normalmente se corre para o cronómetro. 


Correr no Gerês tem sempre em qualquer altura do ano um encanto especial, mas a paleta de cores que pintam o Parque Nacional no fim do Outono cria cenários tão deslumbrantes e arrebatadores, que tornarão esta prova tão bela, quanto dura!"

É assim que a organização da Gerês Marathon convida os "corajosos" a participar nesta que é classificada como a maratona de estrada mais dura do mundo.
Gosto de desafios e este é daqueles que qualquer um devia participar num ambiente de "autentica"loucura num lugar emblemático para quem gosta desta "conjugação "entre o desporto e a natureza.


segunda-feira, 9 de novembro de 2015

Na " ressaca "da Maratona eu quero a minha ...garrafa !

Guardo com muito carinho estes três troféus
das três maratonas que terminei no Porto.
Quando as olho lembro-me do quanto sofri
 para as alcançar , mas também do prazer
e dos momentos únicos
 que são terminar uma maratona
 
No dia a seguir á 12 ªMaratona do Porto é tempo de fazer o balanço de uma distancia que só está ao alcance de verdadeiros campeões sejam eles mais velhos ou menos "novos"o simples facto de terminar é já de si um grande feito.
Este ano fiquei de fora por isso limito-me a ouvir os relatos da camaradagem que participou e se para uns foi um momento único de superação outros por vários motivos não ficaram com boas recordações  mas nada de desanimar pois a fibra de um maratonista está precisamente na força interior capaz de mover os mais diversos obstáculos  que sejam humanamente possíveis de ultrapassar. 
Não me parece que tenha sido do agrado da maioria dos corredores a mudança do local da partida e da chegada , se o objectivo era melhorar a marca dos atletas de elite o mesmo não foi atingido pois o tempo final ficou muito longe de outras marcas já verificadas nesta prova.
Já a marca de bater o recorde de participantes foi atingida e por larga margem , isto apesar de alguns atletas terem testemunhado que alguns corredores não tenham percorrido todo o  percurso ...mas isso também já estamos habituados de ter estes "artistas".O Magnifico dia de sol contribui para a festa aguardada por muitos pois como se sabe foram muitos atletas a tentar correr a primeira vez esta mítica distancia de 42 195 metros.
Segundo o relato de alguns atletas a frustração foi grande no final devido ao facto da organização este ano não incluir no prémio final a tão famosa garrafa de vinho do porto com a data e a edição gravadas.Sei que para muitos atletas nada diz mas para mim por exemplo dou muito importância  a estas "pequenas"coisas que traduzem algo muito especial e nos ajudam a perpetuar no tempo os nossos feitos.
Compreendo a sua desilusão pois já passei por esta experiencia na Meia Maratona da Nazaré que como se sabe tem no seu prato alusivo á prova um dos símbolos da mais antiga meia maratona de portugal , na edição de 2013 foi com tristeza que quando terminei a organização diz que este ano não "há prato devido á crise...."
Foi por isso com compreensão que li alguns desabafos como de um atleta que mencionou na sua pagina : Quero a  minha Garrafa !
Que na edição de 2016 voltem estes pequenos símbolos que são do agrado dos que dão cor ás corridas e que sem eles as provas  não existiam que são os chamados atletas de pelotão.
Termino com um texto de uma atleta que pela primeira vez correu a mítica e que de alguma forma traduz o espírito do que é correr uma maratona :
 "Fiz a minha primeira maratona. Sofri muito. Sofri mais do que aquilo que tinha imaginado que ia sofrer. Fiquei enraivecida por ter estado tanto calor num dia em que não devia estar calor. Morri antes da hora a que tinha previsto morrer. Pensei vezes sem conta durante os 42k que esta seria a minha primeira e última maratona. Acabei.
Conquistei uma meta que para mim sempre foi impensável. E conquistei-a graças ao Ricardo Bomtempo que me treinou e que me garantiu que conseguiria acabar. Graças ao Francisco Rebelo, uma lebre que decidiu festejar o dia de aniversário a um ritmo de tartaruga e não me largou um único quilómetro nem um único minuto. Graças aos meus pais  ePorfirio,que se multiplicaram em vários pontos do percurso. Graças às minhas amigas de toda a vida, "babes with power" MartaRomaJoana,Raquel e ainda ao Diogo Vale. Incansáveis e inigualáveis. Graças à Juca e àErcília Reis e ao Carlos Natividade Silva e ao Miguel Catarino e ao Angelo Senra e à Leonor Tato ao Vitor Dias e ao Rui Sampaio e a tantos que vou esquecer-me, desculpem, de enumerar.
Acabei a maratona graças a tantas, tantas, tantas vezes que ouvi chamarem o meu nome. Nem sempre consegui distinguir quem berrava por mim, mas, de cada vez que o faziam, apercebia-me que a prova não estava a ser uma distância de 42,195km, mas uma experiência de vida. Ainda não consegui digerir tudo o que aprendi hoje, mas fiquei com a certeza de que quando chorei no fim foi de gratidão.
A maratona é um turbilhão de emoções. É uma cabeça vazia porque já não sabe o que pensar. É uma dor contínua e uma glória permanente. Está feita."(Barbara Baldaia , jornalista TSF)
GRANDE EXEMPLO.
Boas corridas.

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

JOÃO MARINHO , SEMPRE PRESENTE !

Uma das muitas viagens que fez pelo mundo
Faz hoje um ano que desapareceu nos picos da Europa João Marinho.Nada  ficou  como antes para toda a comunidade corredora , muito se ansiou pelo seu regresso que veio a acontecer neste verão mas infelizmente já sem vida.
Para muitos que tal como eu tinham uma admiração grande por este jovem desportista  foi difícil ultrapassar tão grande perda , pois se ninguém é insubstituível ele era sem margem para duvidas incomparável .

Na data do primeiro aniversario do seu desaparecimento quero recordar  não apenas o atleta mas também o ser humano de eleição que ele era , exemplo de solidariedade e de carácter e de uma personalidade que irradiava  alegria para todos os que com ele conviviam .

A homenagem que podemos prestar ao João é na medida do possivel seguir muitos dos caminhos por si traçados no desporto e na vida em geral , exemplo de antes quebrar que torcer e que nada é impossível basta acreditar.  
Nesta simples homenagem que quero partilhar com a blogosfera corredora termino com uma das suas fantásticas formas em que expressava  o amor que tinha á vida , e que neste caso foi numa das suas viagens a Santiago de Compostela :

"Peregrinar é um acto de Fé. É um Caminho e como tal pressupõe um itinerário, mas não se esgota nele. Tem que se lhe associar uma intenção e um objectivo, que alimentam a motivação e despertam a busca interior, promovendo assim o enriquecimento espiritual e cultural."
(João marinho 27 de Fevereiro de 2014)

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Ver a Maratona por um canudo...

O Treino que tirou as duvidas.
A vida  é isto mesmo e por vezes somos impotentes para controlar o nosso corpo.
A Minha participação na maratona do porto, vou mesmo ver a maratona por um canudo , com muita pena minha.
Estava pré -inscrito(faltava pagar) na Maratona do Porto , e mesmo sabendo que ia pagar a taxa máxima (..assim tem sido nas ultimas provas) queria participar .
Fui adiando a minha inscrição pois não me sentia confortável a nível físico para correr a maratona com o prazer que quero e gosto , sofrendo sim , pois os corredores têm que sofrer , mas também, desfrutando da sensação única que é correr uma maratona.
Ando com uma dor zona da anca que com os treinos mais longos se desloca também para a zona do púbis ..tenho corrido e nos treinos curtos dá para aguentar mas nos longos é mais difícil , acabo de treinar e com gelo a dita desaparece voltando na corrida seguinte.

Na meia maratona de Ovar a mesma manifestou-se por volta dos 17 km , defendi-me ao máximo e lá consegui acabar ...só que devia ir ver o que era e não fui agora o resultado está á vista ...piorou e muito.
Ontem decidi tirar a prova dos nove e com a ajuda dos meus companheiros de corrida Paulo e Miranda decidimos fazer um treino para  ajudar a minha decisão de participar na maratona visto que falta apenas uma semana e assim foi como sempre escolhemos a estrada que liga a princesa do Tâmega ao Marco de Canaveses com o objectivo de correr 26 km em 2h20 ou seja um ritmo que no meu entender estava ao meu alcance para a distancia mítica.
  Quando fizemos o retorno perto da estação do Marco um pequeno sinal de alerta mas nada de maior ...o pior foi por volta dos 20km tive que me defender para terminar o treino por sinal com um tempo melhor que o previsto ( 2H18)
A decisão de não participar foi logo ali...tal eram as dores que tinha .Agora é tempo de fazer o diagnostico mas desconfio de algo nada fácil , vamos ver.
E pronto depois da Natércia não poder participar , agora é a minha vez eu que tinha como objectivo correr uma maratona neste ano de 2015.
Nada de desanimar e pode ser que o diagnostico me seja favorável e me permita fazer uma das coisas que mais gosto que é correr.
A todos que vão participar desejo a maior sorte do mundo e que desfrutem ao máximo durante os 42 km dessa sensação única de coragem e determinação  .
A TODOS BOAS CORRIDAS !

Enquanto há vida , há esperança e" HÁ FEST!"

Enquanto há vida há "Fest!!! Diz o povo na sua linguagem popular que "Enquanto há vida , há esperança, foi e será sempre segu...