segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Apesar de tudo a "MÃE resiste á crise...numa viagem ao passado

na 39ª edição da meia maratona da Nazaré
É caso para dizer que apesar da onda gigante que "VARREU O PAÍS"nos últimos tempos e que fez com que muitos de nós alterássemos os nossos hábitos de consumo (mesmo no que a corridas diz respeito)ainda não fez muitos estragos na Meia maratona da Nazaré carinhosamente conhecida como a mãe das meias maratonas em portugal , isto porque foram apenas 38(!)atletas a menos que participaram na edição deste ano em relação á do ano anterior.
Esta foi apenas a minha quinta participação nesta prova , mas posso dizer que foi uma das que mais gozo me deu , pois consegui concretizar um sonho de levar o meu actual grupo de treino na sua totalidade a esta prova, foram 9 no total 7 deles para correr a prova principal de 21 097,5 metros.
Apesar da distancia e dos tempo difíceis que vivemos quando se conjuga vontade , amizade pura e respeito mutuo por cada um ,tudo se torna mais fácil e o que parece difícil  acaba sempre por se tornar numa realidade onde todos se revêem e têm  prazer em participar. 
Foi com este espírito que partimos ainda quase de madrugada em direcção á Nazaré , numa viagem que me fez recuar no tempo pela sua originalidade , do transporte ,(a viatura já velhinha mas um brinco) da forma como todos se organizaram (com merendeiro á moda antiga )e pela disposição de todos os participantes , fazendo esquecer as poucas horas de sono .
Chegados á Nazaré demos graças pela viagem que correu sem sobressaltos o pior era o Paulo (o condutor da relíquia) que se queixava de dores nas costas ele que está habituado a outro tipo de conforto mas que se sacrificou em nome deste "projecto"de malucos que percorrem 600 km para correr..21.
O tempo estava óptimo embora já estava a prever que á hora da prova o calor ia apertar (como veio a acontecer).
Depois de despachadas as formalidades de levantar os dorsais e do habitual café da manha e passeio pela marginal lá fomos nós em direcção ao nosso posto de reportagem para o "brifing" final , estudar a estratégia e fazer os acertos finais...quem não termina-se não comia!
A NOSSA PROVA
Dos  sete participantes todos tinham os seus objectivos para alem do principal que era terminar , de preferência bem , eu á muito que tenho os meus , apenas quero terminar com um sorriso e pronto para correr no dia seguinte(como já aconteceu hoje dia em que escrevo).Combinamos eu o Paulo e  o Miranda de começar com a Natércia , eu sabia que ela não estava grande coisa pois depois da lesão não tem conseguido meter treinos longo e o objectivo era fazer a volta á Nazaré com ela sempre a um Ritmo lento como convém .Á passagem dos 4 km deixamos a Natércia , entregando a ao destino ...e á sua capacidade de sacrifício que isso ela tem para dar e vender. Continuei com os meus dois parceiros o Paulo e Miranda , pois os outros elementos pertencem a outro "regimento"e á muito que já iam longe.
Por volta dos 8 km a experiência dizia-me que o Paulo ia já em esforço e acusar a maldita dor nas costas ..apesar dos nossos incentivos acabou por ceder á passagem dos 12km reduzindo o ritmo ficando apenas eu e o Miranda.
Continuávamos em amena cavaqueira   quem me conhece sabe o maluco que sou nas provas , muitas são as vezes que dou o meu grito de libertação.
Quando aos 17 km na ponte olho para o relógio fiquei surpreendido e vejo que vínhamos a fazer uma segunda parte muito rápida para o que estávamos á espera.Pergunto ao meu companheiro de viagem se esta bem a que ele responde que sim , terminando com uma ponta final muito boa pois corremos os últimos 4 km em 18 minutos ....para terminar com o tempo de 1:48:33(pelo meu relógio que é o que me interessa)
A desilusão
Chegados á meta onde existia alguma desorganização fiquei desiludido quando as meninas da organização disseram que este ano não havia o tradicional Prato...confesso que é um pequeno pormenor mas que eu dou muito valor, efeitos da crise , disseram elas...e digo eu.
Foi agora tempo de esperar o Paulo  que cortou com 1:54:20 muito bom para quem tanto sofreu durante a prova , a Natércia que tal como previa ia fazer um tempo bem longe do melhor que tem aqui (1:53:48)terminou com alguma dificuldade , acusou para alem da falta de treino o muito calor que se fez sentir e um pouco anormal para esta altura do ano ,mesmo assim terminou com 2:04.18.Os outros atletas do grupo Filipe Coutinho terminou com 1:21:48, Tiago Lopes 1:34:37 e José machado o "nosso veterano mor"com 1:38:28 , tempos muito bons  e dentro do que podem fazer . 
No final ainda tive tempo de ver chegar o meu amigo João Limae a Isa com quem tirei uma foto para recordação.
Em forma de balanço direi que foi mais uma vez um prazer correr na Nazaré .Espero que a organização possa evoluir e não fique parada no tempo , pois esta prova tem potencial para fazer melhor , a questão dos chips é muito redutora , como é possivel este dispositivo não dar o tempo de entrada e do controlo das passagens..os prémios de participação  aos atletas foram muito fraquinhos(para quem pagou 10 e 15 euros de inscrição. A mãe merece mais.)
Em breve escrevo aqui a segunda parte desta prova , que foi a nossa viagem de regresso e o convívio entre o nosso grupo...então até breve.

2 comentários:

  1. Ainda bem que foi das que mais gozo deu!

    Também foi a minha 5ª e deu-me também um gozo especial

    Um abraço!

    ResponderEliminar
  2. Se fizeram a corrida em amena cavaqueira já valeu a pena :)
    Eu e o João também fomos sempre animados e na brincadeira.
    Foi um prazer conhecer-vos. Até uma próxima corrida por esse Portugal fora!
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Um "Mar de atletas" Invadiu o Porto de Leixões

...quase a terminar um Verdadeiro Mar de atletas invadiu ontem  o Porto de Leixões na 4ª  CORRIDA PORTO DE LEIXÕES   prova organizada...